Acesse o Portal do Governo Brasileiro Clique aqui para visitar o site do MCT
unidades   :: acessar :: canais   :: acessar :: busca   :: buscar :: :: contato ::
Início
      
Busca
OK
Fale conosco | Webmail | Links | Mapa do site
Banco de notícias
O IEN na mídia
 

Nos 60 anos da CNEN, seminário sobre institutos de P&D e projetos integradores é realizado no IEN

 
  Dirigentes debatem ao final do seminário.

Como parte das comemorações dos 60 anos da CNEN, foi realizado, no dia 11 de outubro, no auditório do IEN, o seminário “CNEN em Pesquisa e Desenvolvimento: Institutos da DPD e Projetos Integradores”. O seminário se iniciou com uma mesa composta pelo presidente da CNEN, Renato Machado Cotta, pelo diretor da DPD, Altair Souza de Assis, e pelo diretor em exercício do IEN, Fábio Staude.

Após dar as boas-vindas, Staude falou sobre as conquistas e dificuldades do IEN. Foi sucedido pelo diretor do IPEN, José Carlos Bressiane, o diretor do CDTN, Waldemar Augusto de Almeida Macedo e o diretor do IRD, José Ubiratan Delgado, que apresentaram o quadro atual de suas instituições, os convênios e contratos mais recentes e os novos projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação. A seguir, representando o CRCN-NE e o CRCN-CO, fizeram suas apresentações os respectivos diretores Fernando de Andrade Lima e Kellen Millene Camargos.

Sete projetos: RMB, fusão nuclear...

À tarde, na segunda etapa do programa, foram apresentados sete projetos multi-institucionais que estão em andamento na área nuclear. O primeiro a falar foi o pesquisador do IPEN José Augusto Perrota, coordenador técnico do projeto do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB). Depois de relatar avanços em etapas como o projeto básico e a aquisição de equipamentos de laboratório, ele anunciou a aprovação, pela Finep, de recursos de R$ 25 milhões para o desenvolvimento do combustível a ser utilizado no reator. O financiamento será destinado a três programas: o processo de enriquecimento de urânio a 20%, pelo Centro de Tecnologia da Marinha (CTMSP), o projeto de desenvolvimento de um núcleo tipo placa, pelo IPEN, e a adequação do Centro do Combustível Nuclear do IPEN às necessidades desse modelo.

O Laboratório de Fusão Nuclear (LFN) foi o tema do segundo palestrante, Ricardo Osório Galvão, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ele relatou que pesquisas sobre fusão nuclear existem no Brasil desde os anos 1970 e o país conta hoje com três instalações na área. O projeto de um laboratório nacional dedicado, concebido em 2006, finalmente avançou depois de várias tentativas e entraves. As principais conquistas, contou, foram a adesão do Brasil ao Projeto Euratom e o acordo assinado entre CNEN, MCTIC e INPE para o desenvolvimento de um reator de fusão do tipo tokamak jet. O LFN funcionará provisoriamente no Laboratório de Plasma do INPE. No futuro, a sede definitiva deverá ser junto às instalações do RMB.

...Repositório final, radiofármacos...

A apresentação seguinte foi sobre o Repositório Nacional de Rejeitos de Baixa e Média Atividade, por Clédola Oliveira de Tello, especialista em gerência de rejeitos do CDTN. Em discussão desde 2009, o repositório teve seu projeto conceitual finalizado e o licenciamento do Ibama concedido em 2015, mas o local escolhido foi posteriormente vetado. Aguarda-se, então, a escolha de novo local entre as alternativas apresentadas este ano ao MCTIC para adequar e dar continuidade ao projeto.

Em seguida, o gerente do Centro de Radiofarmácia do IPEN, Jair Mengatti, apresentou um quadro geral da produção de radiofármacos no país, e propôs a criação de uma estrutura integrada na CNEN para a produção, pesquisa e desenvolvimento de novos radiofármacos. A partir da análise dos potenciais e deficiências das unidades produtoras, a integração permitiria a transferência de tecnologia entre elas, a unificação de testes clínicos e de processos de produção, melhor treinamento de pessoal e redução de custos.

...Mosquitos estéreis, Des-Sal, calibração

O tema da quinta apresentação foi o projeto de construção de um centro-piloto de produção e distribuição do mosquito aedes aegypti estéril por radiação. O projeto foi apresentado por Teógenes Augusto da Silva, do CDTN, e Wilson Parejo Calvo, do IPEN. A proposta inclui, além do centro de produção, em Minas Gerais, a implantação de pontos de distribuição dos insetos em São Paulo, Bahia e Pernambuco. O objetivo é reduzir a população do inseto vetor de dengue, zika e chicungunha com o manejo de mosquitos machos pela Técnica do Inseto Estéril (TIE), que esteriliza os animais por radiação, considerada mais eficiente que o uso de insetos transgênicos. O projeto tem parceria com a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e o Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA-USP).

A seguir foi apresentado o projeto conhecido como DES-SAL, de desenvolvimento e construção de uma usina nuclear de pequeno porte para cogeração de energia e de água potável, esta a partir da dessalinização de água. Segundo Auro Correia Pontedeiro, assessor da Presidência da CNEN e coordenador executivo do projeto, o objetivo é desenvolver um modelo de usina a ser instalado em microrregiões sujeitas à escassez de água potável, gerando ao mesmo tempo eletricidade e água para abastecimento humano e animal, produção de alimentos e atividades de mineração. A proposta, apresentada em junho à Finep, é uma parceria da CNEN com o Centro de Tecnologia da Marinha em São Paulo (CTMSP), além da colaboração de laboratórios de universidades e redes de pesquisa.

O projeto prevê a utilização de um reator de pequeno porte da geração GIII+ inspirado no modelo desenvolvido pelo Laboratório de Geração Nucleoelétrica (LABGENE), da Marinha. Quatro processos de dessalinização existentes estão sendo analisados. Um laboratório de estudos desses processos será montado nas instalações do IEN.

Fechando a programação, o diretor do IRD, José Ubiratan Delgado, fez uma apresentação sobre a Rede Brasileira de Calibração (RBC). O Brasil, lembrou ele, foi um dos países signatários da Convenção do Metro, realizada em 1875, e desde então segue as regulações metrológicas do Bureau Internacional de Pesos e Medidas (BIPM). A partir de 1989, a RBC é composta pelo Inmetro, para medidas científicas em geral, o Observatório Nacional, para medidas de tempo e frequência, e o IRD, para medidas de radiações ionizantes. Mas é preciso avançar para um sistema mundial harmonizado de grandezas e unidades, defendeu, lembrando o impacto das radiações ionizantes ma medicina, na indústria e na área ambiental.

Colaborar, compartilhar

Para o diretor em exercício do IEN, Fábio Staude, o evento permitiu a identificação de interesses compartilhados pelas unidades de pesquisa da CNEN, a partir da discussão de iniciativas e projetos que podem abrir espaço para o estabelecimento de ações colaborativas. “O ponto comum das discussões”, diz, “foi de fato o reconhecimento da necessidade de fortalecer o esforço compartilhado entre pares, incluindo os situados em contextos nacionais e internacionais.”

Além disso, destaca, “foi extremamente gratificante receber em nossa casa os dirigentes máximos de todas as Unidades de Pesquisa da CNEN e, ainda, autoridades da área de C&T do País e representantes do setor nuclear da Argentina e França, mantendo a tradição do IEN como instância para a discussão de questões de interesse da sociedade brasileira.”

Voltar

Rua Hélio de Almeida, 75 - Cidade Universitária - Ilha do Fundão - Rio de Janeiro - RJ - Brasil
Tel.: (21) 2173-3700 / Fax: (21) 2590-2692 - Horário de funcionamento: 7h30 às 16h30